segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Rita, a impaciente.

A paciência não é uma das minhas virtudes. Tenho muita pena mas de facto não é. Não sou de esperar que as coisas mudem daqui a um tempo e quando tenho uma coisa a tirar-me o sossego não descanso enquanto não tomar uma atitude, que por vezes (muitas vezes) é insensata e faz com que eu me arrependa logo a seguir. Porque é que hei-de me contentar com o mais ou menos se já tive o melhor? Porque é que hei-de engolir sapos? Não há paciência. Posso-me arrepender a seguir mas pelo menos digo o que sinto.