sábado, 26 de setembro de 2009

Devaneio


Ou é de mim ou dizer "amo-te muito" é triste? É que pôr lá o "muito" deturpa todo o sentido do "amo-te" que por si só já é obviamente muito e tudo e tudo e tudo. Enfim.

Contra mim falo já que também digo isso.

11 comentários:

Satine disse...

hmmm.. boa pergunta.. à qual não estou habilita a responder.. =P

Lady me disse...

LOL

nunca tinha pensado nisso!

Juky disse...

Acho que por mais "muitos" que acrescentemos vai ser sempre pouco não é??? :)

Inês disse...

Bom tópico! Muito interessante.

Agora que falas nisso eu penso que o "amo-te" devia andar sempre sozinho. O "muito" pressupõe que se pode amar pouco. Não se pode. Ou ama-se ou não se ama.

Sophie disse...

Não acho por acaso, acho que apesar de amar ser muito ás vezes parece que se ama ainda mais! LOL
daqui acrescentar o muito.

André Santos disse...

whã?
que espectáculo, quem se lembra disso? (no bom sentido)

A mais nova disse...

muito bem pensado!

eu gosto é de ver: amo-te bué. é que combina na perfeição...

L!NGU@$ disse...

Dizer isso assim é "bem piroso e lamechas como o amor deve ser" :p

A mais velha disse...

é o que acontece quando dizemos "amo-te" mil vezes ao dia... temos de acrescentar alguma coisa, pois começa a soar a pouco... :)

Alguém disse...

"Amo-te" foi banalizado e muito banalizado por isso soa tão mal... Eu prefiro um "gosto de ti" ou um "adoro-te" que se note ser bem sentido... :-)

LH disse...

Concordo.
O verbo amar é a plenitude dos sentimentos.
Não há muito nem pouco. Ou há ou não há.